Manifestações em Plenário

 

manif

Pier lamenta tragédia com vôo da Chapecoense

“Todos acordamos nesta manhã com a triste notícia, todos estamos estarrecidos com a tragédia. Perdemos também o Caio Júnior. “Havia pessoas no voo da cidade de Curitiba. Para quem vive o mundo do futebol, como eu eu, é uma tragédia que não cabe na alma, a morte de mais de 70 pessoas que estavam indo trabalhar”, disse Pier Petruzziello (PTB).

Pier provoca reflexão sobre eleição de representantes do PT

“Se tudo está errado no país com o Temer presidente, por que a Josete é a única representante da esquerda curitibana na Câmara de Vereadores?”, questionou Petruzziello. “Se [a esquerda] tivesse ido bem, metade do parlamento era do PT. E essa reflexão interna tem que sair de vocês, não de nós, que a ouvimos por respeito, por ser uma vereadora atuante”, completou. Ele disse ainda que havia “corrupção alarmante” no país.

Pier se manifesta sobre ocupação nas escolas

“Desde o início digo que sou contra as ocupações”, disse Pier durante a sessão plenária, “pois sou a favor do diálogo”. Fazendo críticas ao sindicato dos professores estaduais, o vereador do PTB afirmou que “a partir do momento que apoiam as ocupações, [a APP Sindicato] tem certa responsabilidade pela morte do estudante Lucas”.

Pier se posiciona a favor do Impeachment

Pier Petruzziello (PTB) fez críticas ao governo do PT durante a sessão plenária, por ter “mentido, ao fazer várias promessas que não foram cumpridas”, e pediu que o Senado confirme o afastamento de Dilma. “O Michel Temer terá condições de manter o mínimo de governabilidade, coisa que a Dilma não conseguiria mais. Ela pecou pela omissão, deixou roubarem e estabeleceu um desgoverno. Espero que a Dilma vá para casa refletir sobre o que fez e que o PT venha a público pedir desculpas ao Brasil”.

Congelamento Salários dos Vereadores
Pier Petruzziello (PTB), o primeiro vereador a se pronunciar publicamente pelo congelamento do subsídio, disse que a medida é “uma vitória”. “Estamos falando em congelar salário em Curitiba, que se comparada com Rio de Janeiro, São Paulo e as Câmaras de outras grandes cidades não tem verba de gabinete, por exemplo. Entendemos o momento. Estamos vivendo um índice de desemprego muito alto, não só em Curitiba, mas em todo o país”, declarou.

Homenagem
O vereador Pier Petruzziello (PTB) fez uma homenagem, em plenário, ao primeiro juiz federal do Paraná, Manoel de Oliveira Franco Sobrinho, que faleceu em 2002. “Neste ano, comemoramos o centenário de nascimento deste ilustre paranaense, que sempre desempenhou suas atividades com competência”, declarou o parlamentar. Sobrinho foi jornalista, procurador-geral do Estado do Paraná, representou o Brasil no exterior, e foi referência em estudos do Direito Administrativo e deputado federal.

Congelamento de Salário

Pier Petruzziello sugeriu à direção da Câmara de Vereadores que mantenha congelado o salário dos parlamentares.  “Em um universo de 36.000 servidores públicos, congelar o salário dos 38 vereadores talvez não faça grande diferença nos cofres públicos, mas é momento de dar exemplo”, completou o vereador.

Eleição
Pier Petruzziello comemorou a eleição de Maurício Macri, atual prefeito de Buenos Aires, para a presidência da Argentina. Na opinião do vereador, o governo será de direita, o que representa uma resposta “positiva dos argentinos contra o populismo”, medida que, em sua opinião, favoreceria não somente o Brasil, mas toda a América Latina.

Campanha do Conselho da Pessoa com Deficiência

A revelação de que os polêmicos outdoors “pelo fim dos privilégios a deficientes” foram uma ação do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência (CMDPcD) gerou polêmica.


“Eu, como único vereador a ter uma deficiência [a amputação do antebraço esquerdo], me senti representado”, defendeu Pier Petruzziello (PTB). “A campanha foi colegiada, do Conselho, e não da Prefeitura de Curitiba. Deu tão certo que a presidente da entidade [e secretária especial dos Direitos da Pessoa com Deficiência], Mirella Prosdócimo, foi chamada para participar do programa ‘Encontro’, com a Fátima Bernardes. Domingo estará no Fantástico, também da Rede Globo”, revelou hoje cedo.

Petruzzielo apoiou o uso da palavra “privilégios”. “Ela foi proposital, justamente porque a maior parte das pessoas acha que temos privilégios. Mas o que existem são direitos. Pega um ponto crucial”, acrescentou.

Bebidas nos estádios
Em informe à Casa, Pier Petruzziello (PTB) parabenizou a Câmara Municipal do Rio de Janeiro por aprovar o projeto de lei que autoriza a venda e consumo de bebidas nos estádios da cidade. “Eles são um exemplo de que não se curvam diante das pressões.”

Dia do Perdão
Pier Petruzziello (PTB) registrou a celebração data judaica Yom Kippur. “Hoje é o dia mais sagrado do povo judeu. É o Dia do Perdão, da Purificação”, reforçou o vereador.

Ano Novo Judaico

Pier Petruzziello (PTB) registrou o início do “Rosh Hashaná”, o ano novo judaico. “Que seja um ano doce, como dizem os judeus”, afirmou o vereador.

Debate sobre extinção da Ouvidoria foi acalorado

O debate que decidiu pela tramitação normal, e não em regime de urgência, do projeto de lei 005.00049.2015, cujo teor é a revogação da lei 14.223/2013 (que cria a Ouvidoria), foi acalorado no plenário da Câmara de Curitiba. Paulo Salamuni (PV), presidente do Legislativo quando o processo eleitoral foi iniciado, defendeu que tudo ocorreu na maior lisura e transparência possível. “Não há um único fato que desabone a escolha do ouvidor do município”.

Jorge Bernardi (PDT), autor do projeto e do requerimento para que tramite em regime de urgência, classificou de “viciado” o processo. “Se estamos prontos para escolher o ouvidor, não pode ser a partir de um processo que chegou até aqui irregular.

O apontamento é uma referência a casos citados pela Femotiba (Federação Democrática das Associações de Moradores, que alegava que pessoas teriam votado, na etapa de formação da comissão eleitoral, em nome de entidades que não representariam de fato.

Pier Petruzziello (PTB), que dirigiu a comissão encarregada de coordenar a escolha dos candidatos ao cargo, rebateu as críticas de Bernardi e Chico do Uberaba. “As principais lideranças jurídicas estão perplexas com a atitude do vereador Bernardi, comentaram isso no Facebook”, disse, referindo-se ao fato de o parlamentar passar a defender a extinção da Ouvidoria. “Eu mudei a minha posição. O processo está eivado erros”, simplificou Jorge Bernardi.

O debate seguiu acalorado. “Estou quase indo à Justiça para que o vereador Bernardi diga onde é que teve maracutaia. Sou advogado tanto quanto vossa excelência”, exclamou Pier Petruzziello. O parlamentar, que pelo segundo ano consecutivo preside a Comissão de Legislação, classificou como uma “tragédia” o mandato de Bernardi.

“Manifestação foi contra todos os políticos e instituições”

Ao analisarem as manifestações de domingo (15) em todo o Brasil, os vereadores de Curitiba concordaram que o movimento social vislumbrado no final de semana “não parece ser transitório”, na opinião de Pier Petruzziello (PTB), e “estaria apenas começando”. Petruzziello chegou a afirmar que, além de uma reforma política, seria preciso uma “reforma moral”. “A classe política passa por um momento gravíssimo”, disse.
No Paraná, 45 mil pessoas em Londrina, 10 mil em Cascavel, 6 mil em Foz do Iguaçu e 2 mil Ponta Grossa. Na capital, Curitiba, a PM estimou 80 mil pessoas nas ruas do Centro da cidade – o quarto maior público de todo Brasil, atrás somente de São Paulo (SP), Vitória (ES) e Porto Alegre (RS).
“Eu fiquei feliz com a manifestação, mas fiquei preocupado”, analisou Petruzziello. “Estou muito orgulhoso do povo brasileiro, que passa por um momento de conscientização. Agora eu não entendo como o país tem tantos partidos políticos. São uma espécie de cabide, para depois combinar mamata, cargo. Isso corrói a estrutura administrativa”, afirmou.

Pesquisa eleitoral repercute

A pesquisa de intenção de voto sobre as eleições municipais de 2016 em Curitiba, publicada nesta quarta-feira (11) no jornal Gazeta do Povo, repercutiu entre os vereadores da cidade. Durante a discussão, realizada nos horários reservados às lideranças partidárias e explicações pessoais dos parlamentares, houve comentários sobre o desempenho dos supostos candidatos Gustavo Fruet (PDT) e Ratinho Júnior (PSC) e sobre a administração municipal.

Pier Petruzziello (PTB) comentou que, apesar de também notar dificuldades no atendimento aos bairros, “Fruet tem uma conduta ilibada”. “No meio de todos esses escândalos, o prefeito não tem risco antiético na sua conduta”, declarou. A declaração motivou uma réplica de Valdemir Soares (PRB), que afirmou “não dar para jogar a ineficiência da gestão na conta do bom caráter do Gustavo Fruet. Bom caráter é obrigação”, disse.

Ajudar o Siate
Esteve na Câmara Municipal o coordenador do Serviço de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate), Edson Teixeira. Após contato com os vereadores Pier Petruzziello (PTB) e Serginho do Posto (PSDB), ele se reuniu com ambos, Paulo Salamuni (PV) e Cacá Pereira (PSDC). Na pauta, um pedido para que a instituição ajude o Siate a enfrentar problemas de estrutura e mão de obra.

Os vereadores cumprimentaram o coordenador do Siate pelos 25 anos do serviço e se comprometeram a ajudar. “Vamos somar à articulação política, para que os problemas de infraestrutura e mão de obra possam ser superados”, afirmou Petruzziello. O vereador também dará um testemunho pessoal, nas atividades em comemoração do aniversário do Siate, pois em 2006 teve a vida salva pelos profissionais do grupo. Hoje, em Curitiba, o serviço opera com 11 ambulâncias.

Eleição presidencial

Durante a sessão, os vereadores discutiram a aplicação do Regimento Interno da Casa. Pier Petruzziello (PTB) considera importante respeitar o regimento durante as sessões, mas disse não concordar com o cerceamento da palavra aos vereadores. “O que as pessoas precisam saber lá fora é que aqui não se discute apenas títulos de cidadão honorário. Não podemos aceitar falta de debate, pois é para isso que fomos eleitos”, declarou.

Eleição presidencial

Para o vereador Pier Paulo Petruzziello (PTB) a Câmara Municipal não pode se furtar do debate em torno da sucessão presidencial. “O político brasileiro deve assumir de forma clara e transparente seus posicionamentos”, disse o vereador que também teceu críticas ao governo federal.

Sobre as solicitações encaminhadas à Prefeitura

“Não sei se por falta de inteligência, preparo, ou experiência política, mas os nossos pedidos, que são os da população, não estão sendo contemplados”, disse Pier.

Divulgação do “casamento homoafetivo”

A divulgação do casamento homoafetivo nas redes sociais, que vai acontecer em Curitiba, foi considerada “tendenciosa e unilateral” por alguns parlamentares da bancada evangélica e gerou discussão entre os vereadores no plenário.

Em nome do bloco parlamentar PTB/DEM, Pier Petruzziello declarou ser a favor da liberdade de expressão e rejeitou a partidarização da discussão sobre a diversidade sexual: “não é uma causa partidária, mas de todas as pessoas”.

Hospital Evangélico

Na manhã desta quarta-feira (17) o espaço da Tribuna Livre foi ocupado por representantes da Associação Evangélica Beneficente de Curitiba, que vieram divulgar a campanha “Abrace Esta Causa! Ajude o Evangélico”. 

O presidente da Sociedade Evangélica Beneficente de Curitiba, presbítero João Jaime Nunes Ferreira, lembrou que 92 a 94% dos atendimentos promovidos pelo hospital Evangélico se procedem por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). “Trata-se de uma entidade privada, filantrópica e sem fins financeiros. Essa crise não pode interromper um trabalho que é pautado pelo idealismo”, afirmou João Jaime.

O vereador Pier Petruzziello (PTB) relatou o acidente automobilístico que há sete anos amputou seu braço esquerdo. Conforme lembrou o parlamentar, o atendimento no Hospital Evangélico permitiu sua sobrevivência.

Projeto arquivado

Durante a sessão desta segunda-feira (15) da Câmara Municipal, os vereadores rejeitaram o requerimento de Serginho do Posto, que pedia o desarquivamento do projeto que tinha o objetivo de regulamentar a profissão de podólogo em Curitiba. A proposta foi arquivada pela Comissão de Legislação, Justiça e Redação, na segunda quinzena de agosto, pois o colegiado considerou o texto inconstitucional.

“Esse projeto foi estudado e essa comissão é séria; portanto, não vamos acatar ideias que não têm condições de prosperar, ou que serão vetadas pelo prefeito”, afirmou Petruzziello.

Ideb

Vereador Pier Petruzziello (PTB), destacou em plenário que Curitiba melhorou seu desempenho no que diz respeito ao Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Na sexta-feira (5) o Governo Federal divulgou que Curitiba melhorou seu índice de 5,8 em 2011, para 5,9 em 2013, ficando apenas atrás de Florianópolis, entre as capitais. Pier ainda lembrou que o desempenho de Curitiba foi superior ao projetado pelo Ministério da Educação.

Israel

Foi registrado em plenário que a Câmara Municipal de Curitiba recebeu a visita de representantes da Federação Israelita do Paraná (Feipr) e do Centro Israelita do Paraná. Na oportunidade, as entidades entregaram ao presidente do Legislativo uma carta em repúdio à manifestação da Federação Árabe Palestina do Brasil (Fepal).

No documento, a Feipr afirma que as palavras ditas pelo representante da Federação Palestina foram “de ódio, racismo e antissemitismo” contra o povo de Israel. “A guerra não é contra o povo palestino e sim contra o Hamas, um movimento terrorista, jihadista, que preconiza em seus estatutos a morte de judeus”, completa a carta.

Pier Petruzziello (PTB) pediu que a ata da sessão de terça-feira (5) registre suas abstenções na votação da moção de apoio à população civil palestina. Segundo o vereador petebista, o posicionamento foi devido ao uso da palavra “massacre” no requerimento aprovado pelo plenário.

Atendimento Secretarios

Apesar de elogios ao prefeito Gustavo Fruet, Pier Petruzziello (PTB) criticou o tratamento dispensado aos vereadores por alguns secretários municipais.

“Somos eleitos para cuidar da cidade, de forma democrática e direta. Quando vamos à prefeitura, quem está pedindo é a população, e não o vereador”, ponderou. “As pessoas nos atendem como se estivéssemos mendigando. Se for para o secretário nos dizer não, que explique o porquê.”

Seminário

Pier Petruzziello (PTB) registrou sua participação no Seminário “Turismo Acessível: uma cidade hospitaleira para todos” na manhã desta terça. O evento foi uma iniciativa da Secretaria Especial dos Direitos da Pessoa com Deficiência, em parceria com o Instituto Municipal de Turismo (IMT). “O assunto está em pauta, devido à Copa do Mundo de 2014. Ele está sendo discutido em todo o mundo”, destacou.

Legislação

PLENARIOCCJ

“Vale a pena explicar como funciona a comissão. Às vezes se dá a impressão que um projeto de lei é rejeitado por uma questão ideológica ou pessoal, mas a realidade é que eles seguem um rito”, explicou o presidente da Comissão de Legislação, vereador Pier Petruzziello (PTB). “Concordo que o Dirceu Moreira apresenta matérias muito importantes, mas muita vezes há vício de inconstitucionalidade”, completou. Ele elogiou a reportagem, mas disse que não existe competição entre os parlamentares sobre quem apresenta mais propostas de lei: “O que há é o anseio de atender a população”.

Entrevista

Pier Petruzziello (PTB) registrou a presença da professora Juliane Teixeira, do Grupo Uninter. “Concedi uma entrevista muito importante à instituição, mostrando o que a Câmara de Curitiba tem feito para contribuir para a cidade, que será transmitida para 100 mil alunos”, disse o parlamentar.

Reajuste a prefeito e vereadores será retirado

Na tarde desta terça-feira (6), será retirada a emenda da Comissão de Legislação da Câmara de Curitiba que estendia ao prefeito, vice-prefeita e vereadores a reposição anual da inflação (5,38% segundo o INPC dos últimos doze meses). O anúncio foi feito durante a sessão plenária pelo vereador Pier Petruzziello (PTB), presidente da comissão, cuja reunião está marcada para as 15 horas de hoje.

“A emenda tem um erro formal que foi detectado na sexta-feira passada. Ontem, ao debatermos o assunto com a Comissão de Economia, eles também apontaram a falha e optamos por fazer isto, oficialmente, na tarde de hoje, durante a nossa reunião. Podem considerar a emenda retirada”, frisou Petruzziello em entrevistas à imprensa no Palácio Rio Branco.

Pier disse que a emenda era uma sugestão da procuradoria jurídica da Câmara Municipal. “Nós confiamos muito na procuradoria da Casa, pois eles são competentes. Só que o parecer revelou ser um equívoco. Depois eu falei com os técnicos da prefeitura e voltei a conversar com a nossa procuradoria. Todo esse processo é transparente e a gente aprende com os equívocos. Temos um novo entendimento”,  pontuou.

COMISSÃO DE LEGISLAÇÃO

O presidente da Comissão de Legislação, Justiça e Redação, Pier Petruzziello (PTB), reforçou aos vereadores que o colegiado não analisa mérito das propostas de lei, e sim a constitucionalidade. “Se a comissão entender que o projeto é inconstitucional, será arquivado. Não é nada pessoal, é importante que entendam que não há nenhum tipo de perseguição”.

Petruzziello também esclareceu que a comissão da Câmara de Curitiba traz na nomenclatura Legislação, e não Constituição – ao contrário do Congresso e da Assembleia Legislativa do Estado do Paraná (Alep), por exemplo –, porque sua prioridade é a Lei Orgânica do Município (LOM).

TARIFA ONIBUS

plenario2

A sessão desta terça-feira (18) da Câmara Municipal teve debate sobre a manutenção dos R$ 2,70 pagos pelo usuário do transporte coletivo de Curitiba e a redução da tarifa técnica (valor repassado às empresas), para R$ 2,80, com o corte em sete itens. O anúncio foi realizado na véspera pelo prefeito Gustavo Fruet.

Para Pier Petruzziello (PTB), a decisão “não teve tom de provocação, mas de tranquilidade”. “Este é um momento histórico para a cidade. O transporte coletivo era uma bolha que estouraria a qualquer momento”, avaliou o vereador, que também destacou os relatórios apresentados pela CPI da Câmara de Curitiba e de outras entidades.

registro

O vereador Pier Petruzziello (PTB) elogiou, da bancada, o parlamentar Paulo Salamuni (PV) pelo período em que ele comandou o Executivo. Salamuni ocupou o cargo de prefeito de Curitiba entre os dias 1 e 5 fevereiro, enquanto Gustavo Fruet (PDT) participava do evento C40 (fórum bianual de 63 prefeitos de todo o mundo, realizado na África) e Mirian Gonçalves estava no Paraguai, em viagem oficial. “O vereador Paulo Salamuni demonstra capacidade para gerir a coisa pública e nos orgulha a sua conduta na direção da Câmara Municipal”, disse Pier.


“Nós temos trabalhado de forma transparente, com os vereadores atendendo seus eleitores e comunidades. Eu ter assumido a Prefeitura de Curitiba é uma homenagem não para a minha pessoa, mas para toda a Câmara Municipal”, respondeu Paulo Salamuni, após ser elogiado por Pier Petruzziello.

11 de Novembro

Pier Petruzziello (PTB) registrou a representação da Casa, junto ao líder do prefeito, Pedro Paulo (PT), e de Jonny Stica (PT), na homenagem realizada na Corrente Cultural ao músico Waltel Branco. A atividade ocorreu na manhã do último sábado, nas escadarias da Universidade Federal do Paraná, na Praça Santos Andrade, e contou com a presença de diversas autoridades.

Pier definiu o músico de 84 anos, 68 de carreira, como o maior compositor do Paraná.

pier

04 de Novembro

O vereador Chicarelli utilizou o pequeno expediente, na sessão desta segunda-feira, para questionar a etapa final de obras para contenção de enchentes do Rio Barigui, na altura da Vila Rigoni e da rua Bernardo Meyer. Chicarelli disse ainda que o título de Curitiba como Cidade Ecológica deveria ser “cassado”, devido à poluição dos rios.

“O título é fictício. Foi criado de forma propagandística”, respondeu o líder do prefeito, Pedro Paulo.

Na avaliação de Pier Petruzziello (PTB), mesmo com os problemas ambientais da cidade, Curitiba foi sim capital ecológica e ainda é exemplo para o Brasil.

plenario

22 de Outubro

O leilão do Campo de Libra – uma das reservas de petróleo e gás natural do pré-sal – foi mote de intenso debate nesta terça-feira (22) na Câmara Municipal de Curitiba. O evento, promovido pelo Governo Federal nesta segunda-feira (21) no Rio de Janeiro, foi criticado pelo líder do PTB, Pier Petruziello, em registro à Casa após o encerramento da ordem do dia.

“Lamento profundamente a realização do leilão de libra. A decisão da presidente Dilma confirma que o PT enterrou seu discurso. Votei nela e me senti profundamente triste quando vi o leilão. O PT entregou, de mãos beijadas, o pré-sal”, protestou o parlamentar, sobre o consórcio formado pela Petrobras e outras quatro empresas, que arrematou a exploração do poço.

“Os caminhos de privatização feitos desde o governo Fernando Henrique (Cardoso, do PSDB) precisam ser comparados. Compare preço, qualidade, investimento”, frisou Pedro Paulo (PT), em defesa do regime de partilha. Petruzziello, no entanto, insistiu que o leilão não representa o discurso amplamente defendido pelo PT. “(O partido) diz que não temos recursos. Mas não temos porque estamos assolados de corrupção. A maioria dos partidos é igual. O modelo dos partidos políticos do país é uma verdadeira vergonha”, reiterou.

pier

21 de Outubro

Os vereadores de Curitiba aprovaram, durante a sessão desta segunda-feira (21), um crédito adicional suplementar de R$ 7 milhões para a Companhia de Habitação Popular de Curitiba (Cohab). A medida, acatada em primeira discussão, vai possibilitar que a prefeitura realoque dinheiro de seu orçamento, transferindo os recursos da secretaria municipal de Obras para a companhia.

A votação da matéria gerou um intenso debate. O vereador Chicarelli mostrou alguns dos problemas habitacionais enfrentados na cidade, citando a Vila Pantanal como exemplo, e criticou o Plano Plurianual da Prefeitura, além do credito adicional de 7 milhões à Cohab. Completou solicitando que os vereadores que tiverem cargo na Cohab, os entreguem.

O vereador Pier parabenizou o vereador Chicarelli por expôr o problema da cidade, apesar de todos saberem que isso não é algo novo e deixou claro que não possui cargo na Cohab. Pier ainda completou afirmando que a maioria dos vereadores também não possuem.

484718_573275442684801_2135541547_n

07 de Outubro

O Movimento Nacional das Crianças “Inadotáveis” (Monaci) e a Associação Brasileira de Advogados Criminalistas (Abracrim), dentre outras entidades, convidaram os vereadores, nesta quarta-feira (7), para manifestação em prol das crianças abrigadas.

“Há crianças à espera da adoção e casais querendo adotar. Existem famílias que esperam por oito anos”, declarou o advogado Elias Mattar Assad, presidente da Abracrim, que chamou a atenção para um “gargalo” da justiça na área do abrigamento infantil. O vereador Pier Petruzziello (PTB) complementou: “temos casais que suplicam pela adoção e não conseguem”.

registro em plenário

24 de Setembro

Durante a votação dos requerimentos, o vereador Pier Petruzziello (PTB) pediu mais critério dos parlamentares na concessão de homenagens a estabelecimentos comerciais, pessoas ou instituições, para preservar a imagem do Legislativo.

criterio

02 de Setembro

O vereador Pier Petruzziello (PTB) subiu à tribuna para se queixar da expressão “campo de concentração”. “(O vereador Galdino) comparou uma senhora servidora pública à indústria da morte, que era tão macabra, que tinha câmara de gás, fornos crematórios e equipamentos de tortura. Ele não conhece o que passaram os judeus e merece um voto de repúdio pelo que diz”, rebateu Pier. Ele lembrou que, com o trabalho da FAS nos últimos dias de frio, recolhendo pessoas em situação de rua para casas de acolhimento como a citada por Galdino, não houve registro de morte neste inverno.

repudiogaldino

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s